Joyce Pascowitch Jornalista renomada e de grande destaque no Brasil e no exterior, Joyce Pascowitch comanda o Grupo Glamurama, que publica o site Glamurama, um dos veículos de maior audiência da internet, citado frequentemente por publicações internacionais. Além do site, o Grupo também edita as revistas Joyce Pascowitch, PODER, Modo de Vida e MODA.

  Estava andando aqui na via Manzoni, em Milão, quando vi uma vitrine que me chamou muito a atenção. Trazia quatro sacolas grandes, todas com a mesma estampa, uma de cada cor. Sou ligada em design gráfico e fui atrás para saber de quem eram essas tais bolsas. O que descobri? Um tesouro perdido,  que andava sumido há muito tempo: a autora das bolsas, uma edição especial para a marca Coccinelle, nada de muito luxo – uma coisa mais popular – era Barbara Hulanicki. Eureka! Não é que essa mulher reapareceu? E justo no meu caminho, aqui em Milão?

  Explicando melhor: Barbara Hulanicki era uma mulher-gênio, que abriu em Londres, em 1964, uma loja chamada Biba, marco de toda uma época. A Biba era uma department store a uma certa altura, com linha própria de roupas, objetos de casa, acessórios, maquiagem etc etc. Tudo com ares retrô, meio art déco – ou seria art nouveau também? Não lembro bem. Lembro apenas da fascinação que sentia por essa marca e por sua criadora. Anos depois, a empresa quebrou…e Barbara veio dar as caras no Brasil. Abriu uma pequena butique com seu nome, na alameda Franca. Sabe em que altura? Justamente no espaço ocupado hoje pelo restaurante Ritz. Endereço ícone, aliás…

  Pois bem: a lojinha no Brasil também não rolou muito bem, Barbara sumiu de novo e foi reaparecer alguns anos atrás, assinando um pequeno hotel no Caribe  – seria na Jamaica? Não me lembro bem… De novo! E eis que agora, assim do nada, dou de cara com seu desenho esperto em uma linha de sacolas desenvolvida para uma marca italiana. Claro que vou comprar. Isso é item de colecionador, tenho de ter um. Até porque Barbara Hulanicki deve ser saudada e reverenciada sempre que aparecer em algum lugar do mundo. Assim como os gênios do pop.
 
  P.S.: Para internautas que pediram dicas de Milão, aqui vai a mais preciosa: o restaurante que mais gostei é, ainda bem, dos menos caros que encontrei. Trata-se do Latteria San Marco, na via San Marco, em Brera. Pequeno, sem reservas, abre no almoço e no jantar. Cozinha caseira, “casalinga”, como se diz aqui. Cardápio original, serviço dos mais gentis. Maria, a proprietária, é quem atende no salão.  O marido cozinha. E o filho fica no caixa. A melhor experiência nesta cidade. Uma pequena joia…

  Para quem quer saber mais sobre Barbara Hulanick, ela tem um site: http://www.barbarahulanickidesign.com/

  Uma delícia esses dias bonitos, com esse friozinho à noite… Melhor ainda num restaurantinho muito do charmoso, escondidinho no bairro de Pinheiros, onde eu fui jantar ontem com minhas amigas Bia, Flavia e Fernanda. O Chou tem uma cozinha mais tipo… natural, pode-se se dizer. Nada de framboesa com balsâmico… Privilegia entradinhas deliciosas com verduras e legumes com mentas, nozes e outros crocantes mais. As mandiocas são inesquecíveis. Peixes e carnes grelhados. Mas, acima de tudo, o descompromisso total com a frescura é o que mais chama atenção. E o charme, claro. A decoração é tipo fofa e tem um pátio onde são distribuídas mantas para as noites mais frias. Nota? Dez.

The John Dory  O bom de Nova York é que sempre tem alguma novidade. Um novo museu, uma nova loja, um restaurante que ainda consegue inventar algo de novo.

  Pois bem: desta vez fui finalmente conhecer um lugar que já chamava minha atenção antes mesmo de abrir. Era o restaurante de frutos do mar de uma chef razoavelmente conhecida, April Bloomfield, dona do Spotted Pig, um restaurantinho super-relax no West Village, mas coroado com duas estrelas do Michelin.

  O novo The John Dory fica na 10th Avenue, perto da 15th, no Chelsea. É pequeno, cardápio enxuto e um décor – obra do outro sócio, Ken Friedman – que dá vontade de ficar lá: meio kitsch, puro charme. Ah, a trilha sonora é outro ponto alto. Coisa rara… Reservas superdifíceis de se conseguir. Tente numa segunda-feira.