Que ano! Uma Copa do Mundo retumbantemente perdida e uma eleição onde não sobrou pedra sobre pedra: todo mundo atacou todo mundo, ninguém respeitou ninguém, a coisa ficou feia mesmo. Nas redes sociais, então, foi pior. Precisava ter muito sangue de barata pra ficar quieto e não sucumbir aos ataques que vinham de todos os lados. Mas nada como um dia após o outro. Enquanto tem muita gente triste, tem também muita gente feliz. Eu sou daquelas que gostam de trabalhar e ir em frente. Claro que muitas vezes me frustro, mas claro também que já aprendi a conviver com frustrações. Não é muito gostoso, mas faz parte. Aprendi também a não ter medo de muita coisa e a confiar no meu taco, isto é, na minha predisposição ao trabalho e a dar certo na vida. Neste primeiro dia pós-eleição, fez um belo sol, só que não choveu nada. A  vida é bem assim: às vezes barro, às vezes tijolo. Boa sorte para nós, porque a gente merece. Eu, pelo menos, tenho certeza que sim.